Início > Mundo > Américas > Estados Unidos > Alasca > Roteiro Alasca, até 7 Dias em Busca da Aurora Boreal

Roteiro Alasca, até 7 Dias em Busca da Aurora Boreal

Conheça alguns detalhes sobre o nosso roteiro Alasca na busca pela Aurora Boreal

Um roteiro Alasca exige muito planejamento e organização, além disso, é preciso considerar o seu real objetivo na ida para este destino. Se a ideia é vislumbrar a Aurora Boreal, pode ser interessante começar o passeio por Fairbanks, mas, Anchorage também pode ser o ponto de partida com destino à Fairbanks.

Nossa experiência no Alaska durou quase 30 dias, fizemos um roteiro de Motorhome porque achamos um ótimo custo-benefício. Entretanto, separamos para você um roteiro de 7 dias que inclui a experiência da Aurora Boreal, bem como tantas outras neste destino bastante inusitado. Podemos adiantar que vale muito à pena visitar o Alasca e que esta é uma das viagens mais inesquecíveis que fizemos.

Esperamos que goste da nossa proposta de roteiro, incluímos alguns dos passeios mais bacanas que fizemos. Confira!

Roteiro Alasca

Nosso roteiro pelo Alasca ultrapassou os 7 dias. Nós ficamos quase 30 dias percorrendo as estradas do Alasca em um motorhome. Com certeza foi uma das experiências mais surreais que vivenciamos, dos perrengues aos aprendizados sobre viajar em motorhome. Aproveitamos as surpresas oferecidas pela natureza ao longo do caminho, até a realização de um sonho de estar no cenário do filme Na Natureza Selvagem.

Logo abaixo, você confere um roteiro de 7 dias pelo Alasca. Neste roteiro, esperamos que você consiga vivenciar algumas das melhores experiências no destino em pouco tempo. É claro que é só uma ideia, você pode alterar e mudar os passeios para se encaixar no seu planejamento de viagem.

O ponto de partida é Anchorage com destino a Fairbanks, você também pode fazer o contrário, caso seu voo desembarque em Fairbanks. Independente da sua escolha, só o fato de ir para o Alasca já será uma grande aventura. Esperamos que seja surpreendido positivamente como fomos. Depois, nos conte como foi a sua experiência, aqui ou no Insta. 😉

Dia 1 | Anchorage

A sua chegada no Alasca pode ser via Anchorage ou Fairbanks. No nosso caso, foi Anchorage, então aproveitamos para dar uma volta breve pela cidade. Ela é considerada a maior do Alasca, e notamos um estilo meio Palmas, no Tocantins.

Em outras palavras, ruas largas, quase nenhum prédio, algumas casinhas esparramadas e a avenida principal comercial. Além disso, tem alguns parques e há muito grafitti nas ruas exaltando o povo e a natureza do Alasca.

Nós ficamos pouco tempo em Anchorage, foi basicamente uma noite. Aproveitamos para comprar nossas coisas para a viagem, já que iámos pegar o Motorhome para seguir viagem. Mas, se você ficar mais um tempinho pela cidade, vale a pena fazer um tour pelo distrito histórico com edifícios em madeira, estilo anos 20. Além disso, há o museu da cidade e o passeio pelo Lago Hood, o aeroporto dos hidroaviões.

Por fim, é possível fazer uma trilha no Tony Knowles Coastal ou ainda conhecer as culturas indígenas do estado no Alaska Native Heritage Center. Por aqui você também consegue deslumbrar a beleza dos ursos no Alaska Wildlife Conservation Center, é um centro de reabilitação de animais muito importante.

Roteiro Alasca - T+M
Da janela do hotel tivemos uma vista privilegiada da cidade Anchorage com as montanhas e o lago. (T+M)

Dia 2 e 3 | Homer e Seward

Ainda no sul do Alasca, nos arredores de Anchorage, estão Homer e Seward.

Homer está a cerca de 4 horas de Anchorage, é um lugar bem pitoresco e tranquilo, beirando Ketchamak Bay com um pôr do sol incrível. Por aqui, vislumbramos lontrinhas na praia, alces e alcinhos à beira da estrada. A cidade é bastante conhecida pela tradição na pesca, inclusive sendo denominada ‘a capital do Halibut’, peixe típico que descobrimos ser mais caro do quê o salmão.

De Homer, seguimos para o norte, com parada em Seward. Onde tivemos nossa primeira experiência em dormir em um RV Park. É um grande estacionamento para Motorhomes, com estrutura completa para repor água, energia e descartar os resíduos. Além disso, tem banheiro e lavanderia.

Roteiro Alasca - T+M
O pôr-do-sol em Homer parecia estar nos dando boas-vindas para a nossa jornada pelo Alasca. (T+M)

A cidade de Seward é reconhecida como uma das mais antigas do Alasca. É bem pequenininha, fica na Ressurection Bay, a cerca de 2 horas de Anchorage. Por aqui, vale muito à pena fazer um cruzeiro pelos Fiordes da Península de Kenai, o nosso teve duração de mais ou menos 6 horas com direito a um lanchinho logo antes do início da navegação.

Navegamos pelos fiordes do Kenai Fjords National Park, com vista para as montanhas e os glaciares. Apesar de não ser temporada de baleias, nós tivemos a sorte de vislumbrar a beleza das orcas nas águas geladas do Alasca.

Também encontramos lontras-marinhas e alguns leões marinhos. Apesar de todo o frio, valeu muito à pena apreciar a paisagem que já foi considerada uma das mais belas pela National Geographic. Aqui entre nós: eles não estão errados não! É realmente impactante.

Cruzeiro Seward - T+M
A navegação pelos fiordes de Kenai foi inspiradora. (T+M)

Dia 4 e 5 | Denali State Park

Depois de Seward, seguimos com nosso motorhome para Fairbanks, com diversas paradas pelo caminho e, claro, Denali State Park. O maior parque dos Estados Unidos, tem mais de 24mil km² e preserva a maior montanha da América do Norte, o Monte Denali, são mais de 6mil metros de altura.

Um detalhe importante é que o acesso ao parque é limitado e acontece apenas até o final de setembro. Então, a partir da primeira nevasca, ele fecha e permanece fechado até meados de maio. Por isso, se a sua ideia é explorar ao máximo o parque, melhor marcar a viagem para o verão.

Como a Denali Highway não é uma estrada dentro do parque, conseguimos dirigir por ela parando para apreciar a vista.

Você pode aproveitar para fazer algumas trilhas pelo parque e deslumbrar ainda mais a beleza do local. Podemos adiantar que é muito surreal de bonita. Sério! Nós acabamos explorando mais o parque quando voltamos para o sul, após nosso encontro com a Aurora Boreal em Fairbanks. Mas, como este roteiro é mais curtinho, você pode fazer isto neste momento.

Denali Park Alaska - T+M
O visual do Denali Park é daqueles difíceis de serem reproduzidos em foto ou vídeo. Precisa ser ao vivo! (T+M)

Dia 6 e 7 | Fairbanks e região

Fairbanks é a cidade onde você vai de fato procurar a Aurora Boreal, a região é considerada a melhor área para apreciar o fenômeno da natureza. Nós chegamos na cidade com um belíssimo pôr do sol e informações sobre as probabilidades de visibilidade na região. Para nos ajudar nesta ‘caça à Aurora Boreal’, usamos o aplicativo My Aurora Forecast & Alerts

A cidade é menor do que Anchorage, mas com menos casas e pontos comerciais. Então, estranhamos um pouco, mas, vale a pena fazer um tour breve para conhecer a história do lugar. Mas, o mais incrível mesmo, é testemunhar a Aurora Boreal na cidade em situações inusitadas.

Nós fomos em busca da Aurora, algumas vezes conseguimos, outras não. Em alguns momentos, fomos surpreendidos, como quando estávamos colocando combustível e ela surgiu!

Por fim, nas áreas como Murphy Dome ou Chena Lake você vai encontrar boas oportunidades para presenciar a Aurora Boreal. Vale muito à pena parar no mínimo uns dois dias aqui, até três, para conseguir pelo menos duas noites de tentativa. Lembre que por ser um fenômeno natural, ele pode não acontecer.

Para deixar o seu roteiro Alasca redondinho, veja a possibilidade de ir ao cruzamento do Círculo Polar Ártico, para nós, foi inesquecível.

Aurora Boreal Estados Unidos - T+M
Não cansamos de apreciar as luzes do norte no Alasca. (T+M)

Onde fica o Alasca?

O Alasca fica na região noroeste da América do Norte e faz fronteira a leste com o Canadá e ao norte com o Oceano Ártico. Ainda a oeste fica o Oceano Pacífico. Definitivamente, este encontro de oceanos e posição tão inusitada é o motivo de uma das paisagens mais impressionantes que já avistamos.

Aqui, entre montanhas majestosas e glaciares imponentes, encontramos uma vastidão de paisagens intocadas que nos fazem sentir pequenos diante da grandiosidade da natureza. Por fim, é o destino ideal para quem deseja vivenciar a experiência de apreciar paisagens árticas e fenômenos celestes como a Aurora Boreal.

Nós realizamos um grande sonho ao visitar o Alasca, e podemos adiantar, apesar de ser um destino distante a vibe de lugar selvagem, pouco explorado, é realmente fascinante! Esta sensação não é para menos, o Alasca é considerado o maior estado dos Estados Unidos, mas também é o menos povoado.

Por isso, a sensação de lugar perdido no meio do nada. Aqui entre nós, um nada belíssimo para os amantes de natureza, como nós.

Como chegar no Alasca

Para chegar no Alasca você pode reservar voos para Anchorage ou Fairbanks. Existem diversas companhias aéreas que oferecem voos do Brasil para estes destinos, por exemplo, LATAM, Delta Airlines, Aeroméxico, United Airlines e American Airlines. As passagens para o Alasca não são baratas, então, vale muito à pena se planejar e acompanhar para conseguir a melhor oportunidade.

Além disso, o percurso é longo, com voos de mais de 20 horas e alguns com 2 paradas. Por isso, é bom se preparar e considerar uma companhia aérea que tenha o melhor custo-benefício, pensando no custo e no conforto.

Para completar, lembre-se que é uma viagem para os Estados Unidos, então, confira se o visto e o passaporte estão dentro da validade. No caso de ter uma cidadania que isente o visto americano tradicional, verifique quais os documentos necessários.

Nós desembarcamos em Anchorage e foi uma grande surpresa estar em um aeroporto que mais parecia um museu. É um aeroporto pequeno, com um visual diferente dos aeroportos que estamos habituados, por exemplo, os enfeites vão de alce, lobo e urso empalhados a hidroaviões. Era como sentir um pouco do que estava nos aguardando na viagem.

roteiro Alasca - T+M
Já no aeroporto sentimos que nossa viagem seria de muita aventura. (T+M)

Melhor época para visitar

Fomos para o Alasca em setembro, no verão; mas, não significa que você vai pegar temperaturas muito quentes, apenas menos congelante. O clima nesta época é um pouco imprevisível, pegamos alguns dias de solão, com frio, que do nada começava a chover. Além disso, como setembro é mais perto do outono, deu para apreciar as árvores colorindo a paisagem.

Para completar, vale a pena ir em setembro no Alasca se você espera ver a Aurora Boreal. Apesar dos meses de dezembro a abril serem considerados os mais intensos para esta atividade, em setembro conseguimos avistar a beleza das luzes do norte.

No inverno, a temperatura tende a cair bastante, dificultando um pouco os passeios, mas é claro que dá para passear. Apenas se prepare com as roupas adequadas para encarar a temperatura abaixo de zero. O lado positivo da temporada de inverno é que as noites são longas e bem escuras, perfeito para o espetáculo celestial das luzes.

Por fim, nas estações de outono e inverno, existe mais probabilidade de avistar a vida selvagem. O bom de ter ido na temporada de transição verão e outono, foi que conseguimos admirar os ursos se alimentando em seu hábitat natural, bem como os animais marinhos como lontras e baleias.

Entretanto, na primavera e no verão a região se transforma em um oásis verdejante, ideal para atividades ao ar livre, como caminhadas e cruzeiros costeiros. Por isso, para decidir qual é a melhor época para visitar o Alasca entenda qual o tipo de experiência que você deseja vivenciar. Pode ajudar bastante no momento da decisão final.

Roteiro Alasca - T+M
Ir em setembro para o Alasca foi perfeito, já que nosso roteiro foi todo em Motorhome. (T+M)

Qual moeda levar no Alasca?

A moeda oficial no Alasca é o dólar americano e como o estado é bastante turístico, você vai encontrar diversos estabelecimentos que aceitam cartão. Entretanto, em alguns vilarejos, apenas o dinheiro em papel moeda é aceito. Inclusive, algumas paradas com o motorhome foi preciso pagar uma taxa em dinheiro. Mas, para abastecer, usamos o cartão da Nomad. Logo, vale a pena levar um pouquinho de cada.

Definitivamente, levar dinheiro em papel e o cartão Nomad foi o suficiente, além de ser uma opção mais em conta. Em ambos os casos, você paga apenas 1,1% de IOF e a cotação será no dólar comercial. É diferente se você usar cartão de crédito que tem IOF de 4,38% e a cotação pode ser realizada em dólar turismo, o mais caro. Além disso, com o cartão Nomad você consegue realizar saques durante sua viagem.

Por isso, super indicamos que você leve o seu cartão Nomad e deixe o de crédito apenas para emergências. Com o Nomad dá para transferir reais da conta brasileira para conta Nomad e depois fazer o câmbio de real para dólar. Tudo pelo aplicativo, sem complicações. Para completar, ele é um cartão multimoedas, então, pode ser usado em outras viagens pelo mundo.

Além disso, usando o nosso cupom de desconto TM20, na abertura da sua conta, você pode garantir até 20 dólares de cashback.

Qual moeda usar no Alasca - T+M
Pagamos o combustível com o cartão digital Nomad, foi bem tranquilo. (T+M)

Seguro Viagem Alasca

Ao organizar a sua viagem para o Alasca, nos Estados Unidos, lembre-se de contratar o seu seguro viagem. Ele é essencial para qualquer viagem, independente da obrigatoriedade. Nos Estados Unidos, uma consulta médica de emergência é muito cara, pode ser uma situação simples, como dor no estômago, até uma mais grave. Não importa. Você vai ter que desembolsar muitos dólares.

Então, para evitar este tipo de surpresa no seu orçamento, é melhor investir em um bom seguro viagem. Dessa forma, você garante qualquer imprevisto. Uma dica, no caso de viagens para o Alasca, é verificar se há cobertura para esportes, já que você provavelmente vai fazer algumas trilhas.

Uma forma de você visualizar bem as possibilidades de compra de seguro é ir no nosso parceiro Seguros Promo. Lá você consegue comparar até quatro cotações ao mesmo tempo. Legal, não é mesmo?! Para orçar o seu seguro viagem na Seguros Promo é gratuito e on-line, em destino você deve colocar ‘América do Norte’.

Leia Mais

Perguntas Frequentes sobre o roteiro Alasca:

Quantos dias ficar no Alasca?

Depende da proposta da sua viagem. Nós ficamos quase 30 dias, mas elaboramos um roteiro de 7 dias para você ter uma ideia das experiências que te aguardam no Alasca. Neste roteiro, inclui a caça para ver a Aurora Boreal. Confira o roteiro Alasca de 7 dias para ver a Aurora Boreal.

O que fazer no Alasca?

No Alasca você vai aproveitar para fazer passeios pela natureza, para apreciar a beleza da vida selvagem. Ainda pode caçar a Aurora Boreal, ou ainda se aprofundar na história e cultura dos povoados. Leia mais.

Qual passeios vale a pena fazer no Alaska?

Definitivamente, encontrar a Aurora Boreal está no top 10. Mas, ficar tão perto dos ursos do Alasca também é uma aventura e tanto. Outro ponto emocionante, é chegar ao Círculo Ártico. Também vale muito a pena adicionar um cruzeiro pelas geleiras. Leia mais.

VEJA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 + 15 =

SIGA NOSSO INSTAGRAM

PUBLICIDADE