O Museu do Che Guevara fica na cidade de Alta Gracia, próximo a Córdoba. Estivemos na cidade apenas para visitá-lo. Quer saber como foi nossa visita? Continue lendo.

Mas antes, um pouco de história

Che Guevara sempre fez parte da minha vida. Aprendi a admirá-lo com meu pai e desde sempre escuto minha mãe dizer que na época da ditadura meu pai lia seus livros e ela com medo de que alguma coisa acontecesse, os encapava.

Acho que independente de sua inclinação política, de concordar ou não com seus feitos, o fato dele ter abandonado sua zona de conforto e ter saído pra lutar por aquilo que acreditava, o torna um cara louvável. Talvez vivêssemos em um mundo melhor se houvessem mais Guevaras, Mandelas e Mujicas espalhados por aí, lutando por seus ideias.

Como todo mundo sabe, Che Guevara sofria de asma (recomendo assistir Diários de Motocicleta), isso fez com que sua família se mudasse de Rosário, sua cidade natal, para Alta Gracia, onde viveu por 12 anos. A cidade fica cerca de 35km de Córdoba e por ter clima mais seco que outras cidades do país, é indicada pra quem sofre de doenças respiratórias.

Por dentro do Museu

Tão logo chegamos em Alta Gracia, fomos direto ao Museu Casa Ernesto ‘Che’ Guevara. O museu abriu suas portas em 2001 na casa onde Guevara, na época ainda Ernestito, viveu com sua família durante parte de sua infância.

Primeiramente nos deparamos com o jardim. Em seguida somos confrontamos com as duas realidades do mito revolucionário. A primeira, uma estátua dele ainda menino, sentado no muro. A segunda, uma estátua dele já com a famosa boina sendo ladeada por uma bandeira argentina e uma cubana!

A casa da sua infância

A casa é grande, tem 6 cômodos, além do banheiro e da cozinha que fica do lado de fora. Ao caminhar pelos cômodos somos envolvidos pela história de vida de Ernesto.

A primeira sala é a recepção do museu e conta com algumas fotos. Logo que passamos pela primeira porta, entramos em seu antigo quarto que tem uma cama, fotos e muitos livros. No segundo cômodo aparecem as primeiras notas da escola/faculdade e a bicicleta com qual Ernesto se aventurou pelo norte do país.

Entrando no terceiro quarto, comecei a me sentir mais perto do Che que todos conhecemos. Aquele que eu sempre admirei. Aí está “la poderosa”, moto usada por Guevara e Granado em sua primeira grande viagem pelas Américas. Nesse quarto também estão as cinzas de Granado, que faleceu em Cuba há uns anos atrás.

Logo após, no próximo cômodo, podemos ver cenas do Che político após a revolução cubana. Aqui vemos fotos de suas viagens como representante de Cuba e seu famoso uniforme verde, o qual fiquei uns bons minutos parada admirando, tentando absorver se aquilo tudo era real.

Por fim, no último quarto, Che abandona seu cargo político para se juntar a guerrilha no Congo. Lá podemos ler sua carta de renúncia e talvez essa tenha sido uma das coisas as quais mais me impressionou no museu. Suas palavras eram firmes e ao mesmo tempo eram doces. A todo momento ele deixava claro que aquela vida de político não servia pra ele e que seu lugar era no campo, junto com as pessoas comuns. Seja como for, sua adoração por Fidel, seu sentimento de orgulho por ter participado da revolução e o ajudado a chegar ao poder são evidentes em muitos trechos da carta, chegando a ser comovente.

Na parte externa da casa

Ainda existem outros três cômodos: a cozinha, uma sala com fotos e autógrafos de Hugo Chávez e Fidel Castro. Ambos visitaram o museu quando Che Guevara completaria 80 anos. Além disso, há uma sala exterior onde se pode assistir um documentário de 10 minutos a respeito de sua infância. Pra mim, foi difícil prestar atenção e absorver alguma coisa depois do soco no estômago que tomei lendo sua carta. Saí de lá com a certeza de que aquela frase que ele mesmo dizia “hay que endurecer, pero sin perder la ternura jamás” era levada por ele ao pé da letra e que assim deveria ser por todos nós.

Quer conhecer o Museu la Casa del Che?

Museo Casa del “Che”
http://museodelche.gob.ar/
Calle Avellaneda, 501 – Alta Gracia
Segunda das 14 a 19 hs.
De terça a domingo, 9 a 19 hs.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui