Uma das maiores ilhas fluviais do mundo, a Ilha do Marajó guarda belezas que impressionam os viajantes. Além de gigante, do tamanho da Suiça, o acesso não é tão simples e as distâncias entre as cidades da ilha são consideráveis. Inevitavelmente você precisará fazer escolhas. 

Para chegar a esse paraíso, três empresas fazem o trajeto diariamente. Partindo de Belém com duas saídas, os barcos chegam ao Porto do Camará em pouco mais de 3 horas. A princípio parece uma viagem tranquila, com visual lindo dos igarapés e povos ribeirinhos. Porém a força das águas da Baía do Marajó dá boas vindas depois de uma hora do trajeto. Se você tem estômago sensível como eu, prepare-se para mais 2 horas de sacolejos.  

Ao chegar no Camará, começa a segunda parte da viagem. Lá você vai encontrar ônibus, vans e micro-ônibus que fazem o trajeto de 40 minutos até as duas das maiores cidades da ilha, Salvaterra e Soure, que são divididas por um rio. Se optar pelo ônibus, por R$5,00 você chega em Salvaterra e por R$8,00 em Soure. Caso escolha a van, ela te leva somente à Salvaterra e custa R$7,00. O micro-onibus é o mais caro deles e te leva até Soure por R$ 13,00. Nós embarcamos rumo a Soure. Pegamos uma van até Salvaterra e atravessamos o rio com pequenos barcos chamados de rabeta (R$2,00). 

Se localizar em Soure é muito fácil. As ruas são todas numeradas, começando em rua 1 na beira do rio e aumentando conforme a cidade foi crescendo em direção a praia. O mesmo acontece com as travessas que aumentam da direita da esquerda. 

Os búfalos são, de longe, o maior atrativo da cidade. A ilha possui a maior manada de búfalos do país e encontra-los não será tarefa difícil. Caso queira um contato ainda mais ‘pessoal’ com esses enormes animais, fazendas como a São Jerônimo e Bom Jesus fazem passeios turísticos. Por humildes R$100,00 eles te levam para uma caminhada na fazenda, um passeio de barco pelos igarapés e montar no búfalo para uma foto final. Caso queira ainda mais adrenalina, acrescente R$50,00 ao valor e monte no búfalo dentro d’agua. Como achamos os preços salgados, ficamos satisfeitos com os búfalos nas ruas.

As maiores belezas de Soure são as praias próximas a cidade que todo marajoara tem orgulho, Barra Velha e Pesqueiro.

Barra Velha 

É a praia mais próxima do centro de Soure. Distante apenas 4km, seu acesso é feito pela travessa 14 até o fim. Não tem como errar. Uma boa opção é alugar uma bicicleta a partir de R$10,00 a diária. Bem próxima a um mangue, é possível ver esse tipo de vegetação em toda a extensão da praia. Há várias opções de restaurante para almoçar. Por R$35,00 é possível comer um prato de peixe frito com arroz e feijão para duas pessoas.

Pesqueiro

Considerada por muitos a praia mais bonita da Ilha do Marajó. Está há 10km da cidade e também optamos pela bicicleta. Caso considere a distância um pouco além de suas habilidades físicas, existe a opção do mototáxi com preço negociável.  A faixa de areia do pesqueiro é enorme! Daquele tipo de praia que tem que caminha uns 5 minutos para chegar ao mar. Falando em mar, por aqui ele não é tão salgado já que se encontra com um rio. Também existem várias opções de restaurantes, porém como está mais distante do centro, os preços são um pouco mais altos. Para o prato de peixe com arroz e feijão é necessário desembolsar R$45,00.

Céu e Caju Una

Vila do Céu e Caju Una são duas jóias escondidas dos turistas que vem de fora e normalmente são frequentadas apenas por locais. Da Praia do Pesqueiro você tem que caminhar uns 15 minutos, pegar um barquinho (chamado por aqui de atravessador) para cruzar o igarapé e caminhar mais uns 20 minutos até alcançar a praia do Céu. Com mais um pouco de caminhada, chega-se a praia do Caju Una. As praias são semelhantes ao Pesqueiro porem mais isoladas e com menos pessoas. Você se sente sozinho no meio de uma natureza linda e quase intocável. Nessas duas, como são frequentadas apenas por moradores, não há opção de restaurante na praia.


O que fazer e Onde se hospedar em Soure

A cidade de Soure em si não tem muito o que fazer além de caminhar por suas peculiares ruas e se deixar levar pelo clima pacato da cidade. Existem alguns lugares onde vende artesanato. Desde cerâmica marajoara até peças de couro de búfalo feitas a mão. 

Como ficamos hospedados na casa de amigos, não tenho muita ideia de preço de hospedagem. A única pousada que perguntamos o preço foi a Ilha Bela que cobra R$120,00 o quarto de casal com café da manhã. Para comer, os restaurantes variam de R$30,00 a R$60,00 o prato para duas pessoas. A maioria deles oferece a mesma opção de cardápio. Peixe frito, na chapa ou cozido com arroz e feijão. 

Se tiver tempo, permita-se ficar pelo menos uma semana. Se não for possível, com 4 dias é possível conhecer bem a cidade.


Anote essas Dicas!

  • Leve dinheiro em espécie
    A maioria dos lugares não aceitam cartão e os únicos bancos da cidade são: Banco do Brasil, Bradesco, Banco da Amazônia e Banpará.
  • Cuidado com as piscininhas que se formam nas praias quando a maré está baixa
    Apesar de convidativas, eles são residência de arraias que são trazidas pela cheia da maré. Uma dica é entrar arrastando os pés na areia, assim elas se assustam e você pode nadar a vontade.

Como chegar a Soure, Ilha do Marajó

BANAV
www.banav.com.br
Preços: R$ 20,00 econômica / R$ 35,00 salão refrigerado
Endereço: Av. Bernardo Sayão, 4946 Jurunas – Belém 
Fones: (91) 3269-4494 / 3249-3998 / 98125-1172

Arapari Navegação
Preços: R$ 20,00 econômica / R$ 35,00 salão refrigerado
Endereço: Companhia Docas do Pará – portão 15 
Fone: (91) 3242-1570

Caso queira uma opção mais rápida, existe uma nova empresa fazendo o trajeto direto a Soure em apenas duas horas. 

Tapajós Expresso Hidroviário
www.tapajosexpresso.com.br
Preços: R$ 48,00 salão refrigerado
Fone: (93) 3523-0788

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui